Tecnologia

Conheça o toque do despertador do iPhone que “traumatizou” usuários

Rumores apontam que Adele teria criado o toque “À Beira-Mar”, que usuários de iPhone descrevem como “filme de terror”

Certa manhã às 6h, Gyaltsen Moktan acordou em pânico.

Era 2019. Ele trabalhava em um buffet de sushi e era responsável por abrir o restaurante todas as manhãs. Então, ele configurou um despertador em seu iPhone.

O alarme “À Beira-Mar” da Apple tocou. Moktan escolheu a melodia alegre pensando que tornaria o despertar uma experiência tranquila.

Isso não funcionou. “O alarme meio que zomba de você. É como um filme de terror, onde tocam a canção de ninar antes da desgraça,” disse Moktan, agora professor de inglês em Tóquio, Japão.

“À Beira-Mar” é talvez o alarme mais polarizador da Apple, evocando comparações com unhas no quadro-negro e crianças gritando em um avião.

Antigamente, os telefones tinham apenas um som: o toque contínuo e estridente de um telefone fixo. Com tantos toques disponíveis agora, os sons dizem mais sobre como as pessoas se expressam e o que pode causar estresse e ansiedade.

Você provavelmente pensa que não conhece “À Beira-Mar”, mas conhece. No YouTube, há versões estendidas, versões de rap e versões tocadas em vários instrumentos.

“Algumas pessoas acham que é um ótimo toque. Outras dizem, meu Deus, é terrível,” disse Carlos Xavier Rodriguez, presidente de teoria musical na Escola de Música, Teatro e Dança da Universidade de Michigan. “Você ama ou odeia.”

De despertadores a pássaros cantando
As pessoas têm tentado usar sons para acordar de forma confiável há séculos, recorrendo a tudo, desde sinos de igreja até galos.

Algumas pessoas empregavam os serviços de “knocker-uppers”, trabalhadores pagos para acordar clientes batendo na porta ou janela com um bastão, até os anos 1970 em algumas partes da Grã-Bretanha.

O primeiro despertador conhecido nos Estados Unidos foi inventado pelo relojoeiro Levi Hutchins, de Concord, New Hampshire, em 1787, mas seu relógio tocava apenas uma vez às 4h.

Em 1874, o inventor francês Antoine Redier patenteou um despertador mecânico ajustável. Seth Thomas patenteou um despertador mecânico alguns anos depois, e o despertador elétrico foi inventado no final do século XIX. Seus inventores provavelmente não esperavam o iPhone.

Os despertadores evoluíram ainda mais desde então. Alguns dos mais modernos são projetados para emitir luz que imita o nascer do sol, acordando os usuários suavemente com um brilho suave e sons relaxantes, como o canto de pássaros ou o trinado de uma flauta.

O que há de errado com esta música?
Boston Flake, um estudante de 15 anos de Utah, diz que “À Beira-Mar” é o único alarme que consegue acordá-lo todas as manhãs para a escola. Longe de ser uma pessoa matutina, ele tentou criar alarmes com mash-ups de músicas, sirenes, buzinas e linhas de baixo estrondosas, sem sucesso.

“É uma relação de amor e ódio,” disse Flake. “Às vezes ouço isso em meus sonhos e me assusto.”

A Apple não respondeu aos pedidos de comentário.

Existem elementos musicais em “À Beira-Mar” que a tornam difícil de ouvir, diz Rodriguez. Não há uma tonalidade discernível. A música não termina com uma batida descendente, então não há sensação de resolução quando ela pausa brevemente antes de se repetir.

Mas um fator maior nas respostas emocionais dos usuários é o elemento “vale da estranheza” da melodia, diz Rodriguez. O fenômeno do vale da estranheza é a sensação de desconforto que as pessoas têm em relação a coisas que parecem humanas, mas não são totalmente humanas, como robôs, bonecas ou palhaços. “By the Seaside” tem um som eletrônico, brega, de teclado Casio, que lembra uma música computadorizada assustadoramente desprovida de toque humano.

Os críticos do som do alarme são vocais com seu descontentamento: “se seu alarme é ‘À Beira-Mar’ você é uma pessoa sem seriedade,” diz um post viral no X. Ele recebeu 160.000 curtidas e mais de 15.000 repostagens, com muitos usuários comentando suas próprias opiniões. Alguns afirmam que a melodia os faz entrar em resposta de “luta ou fuga”. Outros dizem que a melodia lhes causa palpitações cardíacas e os enche de medo.

A melodia náutica é tão controversa que até gerou lendas na internet. Rumores circulam nas redes sociais que a cantora pop Adele escreveu a melodia e que ela rendeu mais dinheiro do que toda a sua discografia combinada. Ryan Meadows, criador do Fake Showbiz News, confirmou à CNN que começou esse boato.

“Gostamos de pensar que [Adele] acharia a piada engraçada. Talvez até a inspire a compor uma suíte de toques para os iPhones do futuro!” Meadows, que usa um pseudônimo, escreveu em um e-mail à CNN.

Representantes de Adele não responderam aos pedidos de comentário.

Certamente, a melodia tem seus defensores. Krystal Roxas, especialista em sistemas de qualidade biofarmacêutica em San Bruno, Califórnia, costumava acordar com o alarme padrão “Radar”. Ela mudou para “À Beira-Mar” em 2018 depois de se mudar com seu namorado, que reclamou que o som do alarme dela o deixava ansioso pela manhã.

Ela é uma ouvinte fiel desde então. “Eu amo ‘À Beira-Mar’. Não sei por que as pessoas odeiam,” disse Roxas, de 34 anos. “Eu deixo tocar até o fim. Faço uma pequena dança na cama.”

Moktan, 26 anos, acredita que o ódio dos usuários pelo alarme pode ser porque as pessoas acabam odiando o que as acorda. Ele tentou definir “Just the Two of Us”, de Bill Withers e Grover Washington Jr., como seu alarme, antes de mudar porque começou a não gostar da música, diz.

“Ainda não encontrei um alarme que goste,” disse Moktan.


Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo