Noticias

Erros que não devem ser cometidos no setor de importação e exportação

Para o acionista de empresas no setor financeiro, Valdir Agostinho Piran, a importação e exportação de produtos é o que mais movimenta o capital nos países atualmente. Ainda assim, várias empresas falham na hora de tomar algumas medidas de planejamento e pesquisa, e isso faz com que o preço das vendas não seja tão lucrativo como o esperado.

Neste artigo, iremos apresentar 3 principais práticas que prejudicam os analistas como forma de ajudar aqueles que desejam melhorar o crescimento desse setor. Sendo assim, se você tem interesse nesse tipo de assunto, e pretende estar pronto para obter um maior retorno financeiro, basta apenas que leia esse artigo até o final.

Sobre a importação e exportação de produtos brasileiros

Conforme pontua Valdir Agostinho Piran, a importação e exportação de produtos no Brasil cresceu consideravelmente nos últimos anos. Só em 2021, o país entrou no ranking dos principais importadores e exportadores de materiais e alimentos do mundo todo, e todo esse crescimento foi em razão das pessoas que sabiam como e quando fazer determinada importação, bem como catalogar os seus produtos.

Mas como já mencionado, existem alguns erros que são cometidos por diversos outros, que, infelizmente, perdem muito o preço de suas vendas. A seguir, você compreenderá cada um deles.

Ações que não devem ser cometidas nesse setor

  1. Não ter estratégia de venda

O primeiro tópico a ser pontuado tem relação com a estratégia de venda do produto. Sabemos que assim como qualquer comércio, a importação e a exportação são direcionadas a um público em específico. Contudo, a pressa de muitos indivíduos faz com que os planos de direcionamento a um grupo que queira comprar acabe não existindo, e por isso, a pendência de vendas acontece, e consequentemente, a perda de lucro ocorra.

  1. Não possuir planejamento

E assim como a técnica de venda, a falta de planejamento não permite que a pessoa saiba avaliar o preço de seus produtos. Conforme explica Valdir Agostinho Piran, é imprescindível saber determinar um valor para o seu comércio, de forma que você obtenha uma quantia justa e consiga vender por um preço justo. Dessa maneira, as chances dos compradores continuarem investindo com você serão sempre altas.

  1. Esquecer da nomenclatura comum do Mercosul

Por último, mas não menos importante, muitos acabam esquecendo da NCM na hora de direcionar os seus produtos da alfândega. A NCM, ou nomenclatura comum Mercosul, serve para apresentar os impostos dos produtos e as restrições de entrada na União Européia, ou seja, caso os materiais que estejam sendo importados e exportados não passe pelo alfandegário, toda a sua mercadoria ficará apreendida.

Bom, dada as dicas, está mais do que na hora de você repensar as suas estratégias de importação e exportação, pois conforme explica o acionista de empresas no setor financeiro, Valdir Agostinho Piran, um bom negócio só pode ser realizado de boa maneira caso haja mais preparação, cautela e pesquisa sobre o assunto.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo